Solodiva e Complexo de Cumbuca – Teatro de Fronteira

 

Ficha Técnica:

Realização – Teatro de Fronteira.

Atores – Nelson Lafayette e Rodrigo Cavalcanti

Orientação – Rodrigo Dourado e Wellington Junior.

Iluminação, cenografia e sonoplastia – O Grupo

 

Duração: 80 min

Indicação: 16 anos

 

Sinopse:

Um Biodrama. A partir do conceito desenvolvido pela encenadora argentina Viviana Tellas, o Grupo Teatro de Fronteira construiu dois solos autobiográficos. No Biodrama, um indivíduo compartilha cenicamente, poeticamente, pedaços de sua vida. Memória transformada em teatro, realidade traduzida para a cena, vida performada.

“SoloDiva”, construído pelo performer Nelson Lafayette. Apaixonado pelas divas do teatro e do cinema, ávido leitor de biografias das grandes damas da atuação, Lafayette brinca com a ideia do estrelato, interpretando a “Estrela que não foi”. No Solo, as fantasias e projeções identitárias de Nelson se cruzam com a cultura gay da DIVAÇÃO: uma homenagem às não-divas que insistem em DIVAR, uma ode às divas periféricas, deslocadas no gênero, no glamour, na geografia. Com farta dose de deboche, a performance carrega nos tons da cafonice, transitando entre a paródia burlesca e o show de transformismo.

“Complexo de Cumbuca”, inspirado nos textos do Tumblr Controle Y (http://controley.tumblr.com/). As vivências de um jovem gay de uma grande cidade qualquer trazidas para a realidade recifense: encontros fortuitos, decepções amorosas, aplicativos de “pegação”, aventuras sexuais bizarras. Quase num tom de stand-up comedy, Cavalcanti narra e vive suas próprias histórias, partilhando sem pudores um universo infinito de intimidades (in)confessáveis.

 

 

Print Friendly