Nome completo: Samuel Francisco de Lira Filho

Nome Artístico: Samuel Lira

Cidade de Nascimento: Recife -PE

Início das atividades: 2005

Atividades Realizadas: Ator, Diretor Musical

Imagem: acervo pessoal
 

 

A história de Samuel Lira com teatro teve início na música. Aos dois anos de idade foi presenteado por uma amiga de sua mãe com uma flauta de brinquedo. A diversão pura e simples deu lugar à técnica, quando o menino passou a observar com atenção um folheto que veio com o brinquedo. “Era uma cartela de cores, onde cada uma equivalia uma nota musical”, revela. E foi assim que aos três anos, Samuel já reproduzia pequenas composições típicas do cancioneiro infantil, surpreendendo a família.

O namoro com a música ficou mais firme, impulsionado pelo incentivo às apresentações na escola. Daí para o estudo das partituras foi um pulo. Aos seis anos, durante uma excursão escolar ao Centro de Educação Musical de Olinda – CEMO, conheceu o maestro Mário Câncio, que o chamou ao palco, após ser indagado como se tirava um som tão bonito de um piano de cauda – instrumento que o garoto vira pela primeira vez na ocasião. O interesse tocou o maestro, que ofereceu uma bolsa de estudos a Samuel. A partir daí, sua vida nunca mais seria a mesma.

 

Os primeiros companheiros de Samuel no universo das partituras foram a flauta doce, o piano e a flauta transversal, sendo estes últimos os cônjuges musicais que seguiram firmes com o músico pelos últimos anos. Mas e o ator Samuel? “Estava escondido ali dentro de mim, talvez esperando o momento certo para ser estimulado e mostrar o seu melhor”, diz. A primeira batida na porta do intérprete cênico que estava hibernando foi de Demétrio Rangel, que à época ensinava a disciplina de expressão corporal no CEMO.”Foi o primeiro beliscão que convidou uma parte de mim a sair do escuro”, conta Samuel, que desde pequeno tinha curiosidade em sentir a sensação de estar num palco contando uma história.

A grande chance veio quando ele fez parte do grupo Pequenos Cantores de Olinda. Por conta dessa experiência, foi convidado para integrar o elenco da ópera “O Cavalinho Azul”, de Tim Rescala, baseada na obra de Maria Clara Machado e musicada ao vivo pelo consagrado conjunto pernambucano Sá Grama. Samuel conta que foi esta obra, dirigida em 2005 por José Manoel Sobrinho, que o chamou com mais intensidade para a vivência no teatro. “Acredito que a intensa atividade da equipe ao longo de um ano de ensaios me fez perceber do quanto eu gostava do processo criativo, para além da música. Pude ter um conhecimento amplo da dinâmica cênica. Isso fortaleceu o meu lado músico e me fez enxergar os palcos como um organismo vivo, onde cada etapa tem o seu valor e precisa estar em equilíbrio para a coisa funcionar”, conta. Em tempo: A montagem pernambucana de “O Cavalinho Azul” lotou o Teatro Guararapes nos dois únicos dias de apresentação, totalizando 5.000 espectadores.

Depois veio “A terra dos meninos pelados”, de Graciliano Ramos, com direção de Samuel Santos. “Na primeira montagem do texto, em 2002, atuei apenas como músico. Em 2011, o diretor decidiu remontar o espetáculo e convidou boa parte do elenco original.” O que Samuel Lira não esperava é que seu xará estivesse observando a sua evolução artística com o passar dos anos, lhe convidando para ser o protagonista da nova versão. Com o reconhecimento de público e crítica, o jovem Samuel sedimentava de vez o desejo de dividir sua vida entre a música e a atuação. O ator chegou com firmeza à sua vida.

Desde então, Samuel passou por diretores reconhecidos do circuito cênico pernambucano, como Rudimar Constâncio, Carlos Lira, Marcondes Lima, Emmanuel Matheus, Natália Sena, Sandra Rino e Fernando Escrich, entre outros. No campo da direção musical, seu currículo guarda espetáculos como “Como a Lua”, de Vladimir Capela; “A Lira dos vinte anos”, de Paulo César Coutinho; “Navalha na Carne”, de Plínio Marcos. No cinema, atuou no premiado “Amor, Plástico e Barulho”, de Renata Pinheiro.

Faça o download do currículo artístico de Samuel Lira, na íntegra, clicando aqui.

 

Formação:

Música – Licenciatura (UFPE)

 

Fotos:

 

 

Print Friendly