Nome completo: Rose Mary de Abreu Martins

Nome Artístico: Rose Mary Martins

Cidade de Nascimento: Teresina – PI

Início das atividades: 1976, no Coral da Escola Técnica Federal de Pernambuco (ETFPE), atual Instituto Federal de Pernambuco (IFPE)

Formação:
Bacharelado em Canto lírico – Universidade Federal de Pernambuco – UFPE
Licenciatura em Música – Universidade Federal de Pernambuco – UFPE
Mestrado em Teatro – Universidade Federal da Bahia – UFBA

Atividades Realizadas: Atriz, assistente de direção, preparação vocal

Imagens: Acervo pessoal

 

 

Rose Mary Martins sempre se colocou no teatro como uma atenta observadora das transformações artísticas e sociais que ele carrega. Através do teatro, ela pôde enriquecer sua visão de mundo e encontrar o seu lugar. “Eu sabia que eu poderia absorver muita coisa daquele universo, e que isso me faria muito bem pro meu lado pessoal. Minha curiosidade foi alimentada e incentivada a aprender mais por causa das nuances relacionadas ao segmento cênico como um todo, que abraça diversas linguagens. O palco é o grande responsável pela pessoa e profissional que eu sou hoje”, afirma Rose, que hoje está mais presente como pesquisadora, professora e preparadora vocal.

Muitos dos talentos pernambucanos que passaram pela UFPE tiveram a oportunidade de tê-la como professora nas disciplinas de voz e movimento. Tal identificação com estes dois aspectos vem do fato de suas origens: Rose Mary pertence a uma família de músicos, e canta desde criança. “Eu segui para o teatro a fim de complementar o aprendizado de canto lírico, por que não basta apenas cantar, dominar as técnicas. Tem que enfrentar o palco, e essa segurança foi obtida com o teatro”, revela.

Além de lecionar na UFPE desde 1996, ela também foi coordenadora do Grupo da Quinta, fundado em 2004, cujos membros incluem estudantes, professores e profissionais das artes cênicas, plásticas, visuais e musicais da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). A iniciativa foi criada para proporcionar ao artista não apenas o desenvolvimento de sua aptidão específica, mas também outras formas de expressão, como o canto, a execução musical, a interpretação, a performance de seus participantes, inserindo-os em todas as etapas do processo produtivo de criação e difusão da obra artística.

Entre os destaques do grupo, encontram-se “O boticário de Momo” (2008) e ” O Canto do Teatro Brasileiro 1″ (2006), realizados a partir de pesquisas sobre o carnaval pernambucano e brasileiro a partir do século XIX. O Grupo da Quinta também acumula prêmios. Em 2006 foi contemplado com os seguintes prêmios da FUNARTE: Prêmio de Teatro Myriam Muniz 2006, realizando 11 apresentações no Teatro Arraial de agosto à setembro do mesmo ano; e Prêmio Caravana Funarte de Circulação 2007 – Teatro. O Grupo da Quinta fará a circulação do espetáculo “O Canto do Teatro Brasileiro1″ .

“Eu acredito que é possível cultivarmos o híbrido entre as linguagens, pois isso gera um intercâmbio muito positivo para quem exerce a arte no Brasil”, conclui Rose Mary.

 

Contato:

rmam17@gmail.com

 

 

Print Friendly