Nome completo: Leidson Malan Monteiro de Castro Ferraz

Nome Artístico: Leidson Ferraz

Cidade de Nascimento: Petrolina – PE

Início das atividades: 1993

Formação:
Jornalismo (Unicap – Universidade Católica de Pernambuco)
Atividades Realizadas: Ator, pesquisador

Imagem: Camila Sergio
 

 

Leidson Ferraz transita com propriedade pelo teatro pernambucano, mas é jornalista formado pela Universidade Católica de Pernambuco. O espírito questionador dos comunicadores foi um aditivo no seu envolvimento com o meio cênico. “Sempre fui muito de ir atrás, de descobrir para tentar entender e vivenciar as coisas de forma plena”, afirma. A experiência com os palcos lhe deu a chance de desempenhar o ofício do ator, embora tenha encontrado o seu habitat enquanto pesquisador do segmento e assessor de comunicação para os diversos espetáculos e festivais que carrega em sua trajetória.

O contato com o teatro teve origem na infância, quando em plena idade escolar, Leidson era escalado para participar de esquetes organizados por professores durante o ano letivo e nas feiras de ciência.Aos oito anos de idade, assistiu à Paixão de Cristo de Nova Jerusalém e foi ali que decidiu que abraçaria aquele mundo. “Lembro bem quando disse a mim mesmo: “eu quero fazer isso”. O tempo foi passando, e o garoto começou a levar consigo o espírito teatral para as brincadeiras de rua, e aos nove anos, comandou uma adaptação da Paixão com 50 crianças que moravam nas redondezas de seu bairro.

 

LEIDSON_TITULO2

Aos 13 anos, veio morar no Recife, e pôde assistir espetáculos profissionais. Apesar de grande quantidade de obras que assistiu graças ao hábito de frequentar as salas da capital com uma certa assiduidade, decidiu cursar jornalismo à época do vestibular. “Entrei na universidade, mas nunca abandonei o teatro. Eu me profissionalizei em 1993, depois de experiências riquíssimas com a professora Ida Korossy e  Valdi Coutinho,  no ArteViva. Quando eu cheguei à Unicap para cursar jornalismo, participei do grupo de teatro que havia no meio acadêmico, que também recebeu alunos da Federal”, relembra Leidson. O encontro de talentos lhe rendeu uma iniciativa independente com colegas que desejavam explorar novas linguagens. Nascia então o grupo “Pedaços”, formado em 1992 a partir do desenvolvimento de quatro textos curtos, cuja montagem rendeu ao grupo apresentações em Recife e em outras cidades do estado, como no Festival Estudantil da cidade de Triunfo.

Desde então, já trabalhou com nomes do quilate de Felipe Botelho, Pedro Portugal e Marco Camarotti. Mas foi com a coleção de livros “Memórias da Cena Pernambucana”, da qual é organizador e editor,  que ele mergulhou fundo como pesquisador. A iniciativa conta a trajetória de 39 conjuntos teatrais do estado desde a década de 1940. A série atualmente encontra-se fora de catálogo, mas pode ser  encontrada em bibliotecas. Além dos livros, Leidson contribui com a Revista Continente e outras publicações, além de ser professor de História do Teatro Pernambuco no Curso Regular de Teatro do SESC Santo Amaro.

Para o futuro, prepara o lançamento das pesquisas “Teatro Para Crianças no Recife: 60 Anos de História no Século XX” e “Um Teatro Quase Esquecido – Painel das Décadas de 1930 e 1940 no Recife”, ambas com incentivo do Funcultura. Desde 2003 Leidson atua como assessor de comunicação do Festival Janeiro de Grandes Espetáculos.

 

Fotos:

Fotos de Camila Sérgio, Fátima Braga, Lenice Queiroga, Marcelo Lyra, Wellington Dantas, Tiago Melo.

 

 

Print Friendly