Nome completo: João Paulo do Nascimento

Nome Artístico: João Paulo

Cidade de Nascimento: Igarassu – PE

Início das atividades: 2010

Atividades Realizadas:Ator/ Iluminador / Maquinista

Formação: Curso técnico de teatro e História na UFRPE (em andamento)

Imagens: Arquivo pessoal

 

 

João Paulo recorreu ao teatro como uma forma de amenizar a sua timidez e obter um melhor desempenho interpessoal em sua vida profissional. No início da década de 2000, atuava como guia turístico, mas achava que podia fazer mais e melhor pelos patrimônios históricos e aos visitantes que aqui chegavam. Foi indicado a tentar um curso de interpretação, que foi conciliando com as atividades diárias até 2007, quando pôde provar o gostinho do palco na montagem de “A árvore dos mamulengos”, um texto de Vital Santos, com direção de Albanita Almeida, fundadora do Grupo Teatral Ariano Suassuna.

A experiência de percorrer festivais estudantis com seu primeiro espetáculo o deixou mais seguro para encarar aquela que considera sua estréia profissional: “O casamento suspeitoso” de Ariano Suassuna, também dirigido por Albanita Almeida. Desta vez, a trupe passou pelos maiores festivais do estado, e arrebatou diversos prêmios, como o de melhor ator, para João Paulo, em Recife, Limoeiro e Caruaru.

O envolvimento rotineiro dos integrantes com as diversas ferramentas e funções cênicas também atingiu João Paulo. Incentivado a aprender outras atividades relacionadas ao palco, ele foi fisgado pela iluminação, que aos poucos, foi lhe atraindo para fora dos limites da atuação. E Pernambuco ganhou mais um iluminador. “Creio que a experiência como ator me ajudou muito na iluminação, pois eu tinha a noção exata dos meandros das marcações, do ritmo, sabia o quão importante é para o iluminador estar conectado ao texto e ao intérprete, então uma coisa ajuda a outra”, revela o profissional.

Como o Grupo Teatral Ariano Suassuna não possuía iluminador, ele revezou-se nessa função a partir de 2010, quando passou a procurar outros profissionais, visando absorver o máximo de informação possível. Em 2011, foi aluno ouvinte da cadeira de iluminação cênica na Universidade Federal de Pernambuco, sendo orientado por João Denys, um dos grandes nomes da dramaturgia pernambucana.

A partir daí sentiu segurança para elaborar e assinar projetos de luz para espetáculos. Entre as vitórias conquistadas, estão “Ganga meu Ganga, O Rei”, de Albemar Araújo e direção de André Ramos, premiado como melhor espetáculo de teatro para adultos no 8º Festival Estudantil de Teatro e Dança do Recife (2010) e agraciado na mesma categoria no 22º Feteag (Festival de Teatro do Agreste), também em 2010.

 

 Fotos:

 Confira a galeria com trabalhos de João Paulo:

 

 

Print Friendly