Nome completo: JÉSSICA DE SOUZA MENDES

Nome Artístico: JÉSSICA MENDES

Cidade de Nascimento: Arcoverde – PE

Início das atividades: 2003

Atividades Realizadas: Atriz / Dramaturgia / Direção cênica / Produção / Arte-educação

Imagem:Cadastro


Atividades:

Nascida em 09 de Dezembro de 1989  na cidade de Arcoverde  onde reside desde 1999, atriz, produtora cultural, encenadora,  graduanda em Serviço Social pela Universidade Norte do Paraná. Iniciou sua carreira artística em 2003, participando de uma oficina de grafitagem no Ponto de Cultura Associação Estação da Cultura, logo em seguida adentrou o universo do teatro  em 2004, a partir da oficina de iniciação Teatral ministrada pelo coordenador da ONG, Henry Pereira. Neste mesmo ano participou   como  atriz da montagem do espetáculo Genesis, Atitude Ato e Tudo( Fragmentos Poéticos com dramaturgia de Henry Pereira),  atuou  em  A Morte do Teatro( Fragmentos de Nelson Rodrigues) dirigido por Naruna Freitas, Dança do Medo (coreografado por Pedro Gilberto), Dança da vida (coreografado pelo Núcleo de teatro da Associação Estação da cultura).

2005 interpretou Quadrilha: Um Romance Sertanejo (Texto de Romualdo Freitas), no mesmo ano dirigindo e atuando estréia a performance Paradoxo( Texto de Renata Cordeiro e Hilda Hilst);

2006 Universo Feminino(Direção de Naruna Freitas),  retorna com Quadrilha: Um romance Sertanejo em Pernas de Pau, Leitura Dramatizada do texto Flores D’Ámerica (texto de João Dennys, dirigido por Mário César), Locutora e roteirista de um programa de rádio comunitária;

Em 2007 percorre nove  comunidades indígenas e uma quilombola com o espetáculo  FEDERIKA, o Arlequim Guerrilheiro( Da Obra de Jommard Muniz de Brito e Adaptação de Vavá Shöm Paulino);

Em 2008 atua em  Abra-ce curta metragem fotográfico,  também em A filha do Teatro (Augusto Luís Reis), Corpo Fechado ( Guimarães Rosa), Leitura dramatizada do texto Transaminases (Carlos Vereza), e Mania de explicação como diretora  no  projeto de  agentes multiplicadores da arte na  Estação da cultura.

A partir de  2009 torna-se oficineira de teatro em projetos sociais na periferia da cidade de Arcoverde, monta com crianças o espetáculo Morte e vida Severina( João Cabral de Melo Neto), Funda juntamente com seu  núcleo de pesquisa em teatro o Grupo Mandalá de Teatro, no qual remontam o espetáculo Federika: O Arlequim Guerrilheiro, em 2010.

2010, voltando a Dirigir, neste ano faz a encenação da esquete ‘O Inseto’ resultado  de uma oficina oferecida pelo  Sesc Arcoverde; atua em Quadrilha Um Romance Sertanejo(direção de Romualdo Freitas), Horizonte da paixão(uma produção do SESC Arcoverde), Taí vozes do Sertão(coral do Sesc Arcoverde) e começa a integrar na Associação Tropa do Balacobaco, fazendo contrarregragem do espetáculo A paixão e a sina de Mateus e Catirina;

No ano de 2011 no grupo Mandalá de Teatro monta Salomé, filha de uma mãe chamada Calyn( a partir da obra de Oscar Wilde, adaptação Claudiney Mendes), Vaderetro- – A História do Homem que vendeu a alma ao Diabo e quase perde seu amor(Texto de Romualdo Freitas), Horizonte da Paixão(SESC Arcoverde), Leitura Dramatizada  A Moratória( Texto de Jorge Andrade e direção Ana Paula Arcoverde),

Em  2012  a esquete Rosinha ( Teatro de Mamulengo) e o  Musical Louvação ao Deus Menino(Direção Musical de Eduardo Espinhara, e direção de arte Pedro Gilberto).
Como Produtora Cultural/ Produção executiva Local Trabalhou nos projetos:  Cena Aberta(Tropa do Balacobaco-2011), Festival SESC de Quadrilhas Juninas( 2009 a 2011) Jornada Literária, Portal do Sertão(SESC 2009 a 2011), Aldeia Olho D’Água dos Bredos(SESC 2009 a 2011), 19° Janeiro de Grandes Espetáculos(Arcoverde-2013).
Desenvolveu  trabalhos  em Arte- Educação no projeto Pró Jovem e Escola Aberta (2010).
É instrutora de Atividades Artísticas- Teatro, na empresa SESC Arcoverde desde 2012 assumindo a direção das  encenações  teatrais da  mesma com  os grupos de iniciação ao teatro , núcleo de pesquisa em Teatro  e  grupos  da terceira idade,e  produção executiva dos projetos artísticos. .
No ano de 2013, inicia  o processo de montagem do   texto O Espelho da Lua  juntamente  com o  seu grupo de teatro  A tropa do Balacobaco, se ausentado devido a gravidez  e somente retornando  no  ano  seguinte 2014, reestreando  o espetáculo na Mostra Geraldo Barros da cidade de Arcoverde,  iniciando  desde então uma parceria com a Fundarpe  no projeto Pernambuco  Nação cultural nas cidades de Arcoverde, Pesqueira e Caruaru.

Em 2015  retorna ao  território indígena  para  troca de experiências  no encontro  pedagógico  indígena de Xukuru com  oficinas de  sensibilização na arte- educação  com professores locais. E retomando  as apresentações com a Tropa  no 21º Janeiro de Grandes Espetáculos com ‘O Espelho da Lua’ no SESC Arcoverde.

 

Fotos:

 

Contato:

jessica.s.mendes@hotmail.com

 

 

Print Friendly