Nome completo: Igor Lopes Wanderley

Nome Artístico: Igor Lopes

Cidade de Nascimento: Recife – PE

Início das atividades: 1994

Atividades Realizadas: Ator, Figurino, Cenografia

Imagens: Juliano da Hora

 

 

Quando começou a interpretar textos na escola, Igor descobriu um novo mundo que o guiaria dali por diante. Aos 8 anos, uma professora o chamou para integrar um grupo que se apresentaria durante a aula. na escola. E foi o gatilho que acionou a fome cênica do garoto. “Eu lembro que a coisa tomou uma proporção enorme, porque depois, tudo que tinha no colégio que necessitasse ser dramatizado, as professoras me chamavam, independente de ser da minha turma”, lembra Igor. Ao sair dessa escola primária, a diretora chegou a Igor e falou: “Estou perdendo o meu ator”, e assim ele se deu conta de seu caminho.

Igor nasceu em Recife, mas passou a infância em Salgueiro, interior do estado. Ao retornar à capital, aproveitou os canais que haviam para desenvolver o seu talento e conciliou os estudos regulares com cursos e oficinas. Seu primeiro aprendizado se deu no extinto Cecosne – Centro Educativo de Comunicação Social do Nordeste, em 1993. Em 1994 ganha seu primeiro cachê, como ator, considerando este o ponto inicial de sua afirmação como profissional focado na aquisição de novos conhecimentos e técnicas, comprometido com o ofício que o escolheu.

 

Formação:

Licenciatura em Educação Artística/ Artes Cênicas. Universidade Federal de Pernambuco – UFPE
Pós-Graduação em História das Artes – Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE
Pós-Graduação em Técnicas de Cinematografia – Universidade Católica de Pernambuco – Unicap

Teatro – Cecosne – Centro Educativo de Comunicação Social do Nordeste, 1093
Canto – Conservatório Pernambucano de Música – 1994

 

Atividades:

Os anos passaram, e assim chegaram os dias de faculdade. Igor já tinha feito sua escolha muitos anos atrás, e precisou conversar com os pais a respeito de sua ida às Artes Cênicas. “À princípio, ficaram um pouco preocupados, pois sabiam que viver de arte no Brasil é muito difícil, apesar de sermos reconhecidos por nossa riqueza cultural. Chega a ser um paradoxo”, conta. Barreira ultrapassada, Igor mostrou a todos à sua volta que viver de arte e pela arte é possível, se houver paixão e compromisso com a evolução do próprio artista. Tanto que hoje, ele acumula cerca de 30 espetáculos realizados, além de 10 cursos ministrados através de projetos vencedores de editais. Um dos destaques é o “Teatro do Absurdo em Camaragibe” , com apoio da Funarte, 2012, através dos programas voltados aos pontos de cultura.

Entre os prêmios faturados em sua carreira, está o de Melhor Ator no Breve Cenas – Festival de Cenas Curtas em Manaus, em 2013,  por um trecho do espetáculo “Avesso”: “Eu não sou cachorro”, de Fernando Bonassi.

Igor forma com a atriz Ana Flávia o grupo Cicuta Sem Estricnina, oriundo das experiências que executaram desde os tempos de faculdade. Após inúmeros trabalhos com educação, leituras dramáticas, produções culturais e passagem por grupos teatrais de Pernambuco e São Paulo, os dois colocam em prática seus experimentos que referenciam o Teatro do Absurdo quanto ao uso de atemporalidades e não-lugares. Entre eles, o texto e os elementos cênicos fazem com que o espectador saia da sua zona de conforto que apenas assiste, para ser atingido com divagações e provocações, que são duas das forças motrizes do teatro.

 

Fotos:

 Confira a galeria de trabalhos realizados por Igor Lopes. Fotos de Wagner Ramos e Mayra Marcelino:

 

Contato:

http://cicutasemestricnina.net/

 

 

Print Friendly