De Íris ao Arco-íris – Andréa Veruska e Jorge de Paula

 

Ficha Técnica:

Texto: criação coletiva a partir da obra De Íris ao arco-íris, de Jorge de Paula

Idealização do projeto: Andréa Veruska e Jorge de Paula

Encenação: Jorge de Paula

Elenco: Andréa Veruska, Iara Campos, Jorge de Paula e Lucélia Albuquerque

Criação de silhuetas e design gráfico: Luciano Félix

Cenografia e figurino: Marcondes Lima

Trilha sonora original: Júlio Morais

Design de luz: Eron Villar

Confecção de bonecos e adereços: Henrique Celibi

Confecção de figurino: Maria Lima e Elzamélia Gomes

Cenotécnica: Gustavo Teixeira

Contrarregragem: Kátia Virgínia

Registro fotográfico: Angélica Gouveia / Leandro Lima

Assistência de produção: Luciana Barbosa

Produção executiva: Andréa Veruska

Produção geral e administração: Karla Martins

Realização: Decanter Articulações Culturais / Jorge de Paula Produção Cultural

 

Duração: 50 minutos

Indicação: 6 anos

 

Sinopse:

O espetáculo De Íris ao arco-íris é uma ação coletiva que dá voz à inquietação artística e pessoal de jovens criadores, graduados em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE, que motivados pelo interesse em investigar o Teatro para Infância e Juventude e o Teatro de Formas Animadas, se juntaram a fim de pesquisar estas linguagens e construir uma encenação que tem como público alvo crianças surdas.

O autor e encenador Jorge de Paula tem como referência de seu trabalho o professor, ator e encenador Marco Camarotti (1947-2004). “Ele dizia que não há problema nenhum em tratar da morte ou de qualquer outro tema com as crianças. A morte faz parte da vida. Temos só que encontrar a melhor maneira de fazer isso. Fazíamos parte de um projeto de Camarotti, o Pátio da Fantasia, na UFPE. Esse grupo tinha como objetivo aprofundar os estudos sobre teatro para infância e juventude principalmente para crianças cegas, surdas ou com deficiência cognitiva”, relembra.

O espetáculo conta a história da lagarta Íris, muito curiosa, que faz de tudo para chegar ao reino encantado. Certo dia, ao se transformar em uma borboleta de cores exuberantes, Íris aparece de surpresa na festa de aniversário do rei do Jardim Sereno de Manhãzinha, Muito Calor à Tardinha e, por não se submeter aos caprichos desse truculento soberano, é expulsa do jardim. Mesmo assim, ela não desistirá de chegar ao reino que tanto deseja. O espetáculo é uma ação coletiva que dá voz à inquietação artística e pessoal de jovens criadores, graduados em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE, que, motivados pelo interesse em investigar o Teatro para Infância e Juventude e o Teatro de Formas Animadas, se juntaram a fim de pesquisar estas linguagens e construir uma encenação que tem como público alvo crianças surdas.

 

 

Fotos:

Confira imagens do espetáculo. Fotos de divulgação.

 

 

 

Print Friendly