Nome: Arary Marrocos Bezerra Pascoal

Nome artístico: Arary Marrocos

Cidade de Atuação: Caruaru -PE

Início das atividades: 1952

Formação: Direito e Ciências Contábeis

Imagens: Juliano da Hora
 

 

Pronta para defender o teatro dentro e fora dos palcos. Assim podemos observar a trajetória de Arary Marrocos Bezerra Pascoal, que conheceu as artes cênicas ainda nos tempos do Colégio Estadual de Caruaru, onde fundou um grupo estudantil em 1952. Nos bastidores, Arary se dedicou a criar em diversos caminhos, como atuação, produção, direção, além de desempenhar o papel de educadora das gerações subsequentes do agreste pernambucano. Fora deles, formou-se em Direito e Ciência Contábeis, o que de certa forma ajudou na gestão de seus projetos.

Junto com o marido, o ator, teatrólogo e diretor Argemiro Pascoal (1929 – 2012), fundou o Teatro Experimental de Arte, um dos grupos mais atuantes no estado, em atividade até hoje, através de cursos, oficinas, workshops e festivais cênicos. A larga experiência artística não a impediu de abraçar outras áreas.

 

“Eu sempre achei que o artista precisava estar preparado para os desafios de tirar o espetáculo do papel para a realidade”, afirma Arary, que formou-se em direito e ciências contábeis. Até hoje, ela ainda apoia novos talentos e ajuda na articulação de parcerias para a realização do FETEAG, Festival de Teatro do Agreste, idealizado pelo filho Fabio Pascoal e Chico Neto, que desde 1981 traz espetáculos locais e nacionais, com a inclusão de nomes estrangeiros nas edições da última década, além de oficinas e workshops voltados ao segmento.

A formação nas leis e nos números permitiu que a atriz enxergasse o exercício do ofício artístico além do processo criativo: “Aprendi desde cedo a encarar a gestão de um espetáculo pelo motivo que todos da área conhecem: Recursos escassos, que implica em desenvolvermos soluções criativas e sustentáveis para que continuemos a desaguar nossas criações”, explica.

Sua postura ativa e engajada com o teatro estudantil e a profissionalização dos artistas da região foi importante na construção da credibilidade de suas propostas, conquistando ao longo do tempo o reconhecimento de entidades como a Fundação de Cultura de Caruaru, Secretaria de Educação do Estado, Fundarpe, e Sated, entre outros.

Entre os espetáculos realizados como diretora e atriz, estão as montagens de “O Baile do Menino Deus”, “A Menina que perdeu o gato enquanto dançava frevo na terça-feira de carnaval”, “O Eclipse”, “A Tristeza da La Ursa” e “Cancão de Fogo”.

 

 

Print Friendly