Nome completo: Ângelo Fábio Barros De Souza

Nome Artístico: Ângelo Fábio

Cidade de Nascimento: Recife – PE

Início das atividades: 2000

Formação:
Jornalismo (Faculdade Maurício de Nassau) – 2007
Direção Teatral (Instituto Universitario Nacional de Artes – IUNA – AR) – 2010
Jornalismo de investigação (Universidade Popular Madres de la Plaza de Mayo – Argentina) – 2011

Atividades Realizadas: Ator, performer, diretor, dançarino, produtor

Imagem: Diego Melo
 

 

Ângelo Fábio é conhecido por seu trabalho interdisciplinar em diversos campos da cultura. Ator, performer, artista educador, comunicador social e produtor independente. Há cinco anos vem desenvolvendo pesquisas relacionadas ao teatro independente, a performance, as intervenções urbanas, as artes visuais e as ocupações dos espaços públicos tendo o teatro como plataforma de interação.  Seu combustível é o diálogo a partir de provocações entre o artista e a sociedade. “Como a vida é dinâmica, procuro me apoiar nesse sentido do movimento, num constante exercício de observação e afirmação da inquietude que nos é intrínseca. Por isso, não me limito a uma única metodologia ou visão de mundo”, afirma o artista, cuja trajetória lhe rendeu experiências com diversos grupos regionais e internacionais.

Ângelo nasceu numa família com forte presença no ramo gastronômico e na cultura popular. Como a cultura de um povo é feita de cores, sons, e também aromas e sabores, ele logo percebeu os laços que unem as diversas linguagens e manifestações, adquirindo um olhar criativo e político no exercício artístico de cada um que compõe o tecido social. Já na adolescência, abraçou a comunicação como ferramenta libertadora e construtora do desenvolvimento humano: Escreveu para publicações e contribuiu com a programação de uma rádio comunitária, além de ajudar na formação de núcleos de ações sociais em Camaragibe e outros bairros do Recife.

Ângelo utiliza seu corpo como principal ponto de partida para a cena, trabalhando com os mais diversos recursos sem fechar-se a uma metodologia especifica. Explorando os diversos conceitos e inquietações que surgem a partir de suas necessidades como artista, utiliza o “corpo em risco” ou um “corpo democrático”, jogando-se à deriva para que o público espectador exerça uma função “não passiva” sendo condutores das mais variadas ações. Em alguns casos o espectador é parte integrante dos atos levando-o a desconstruir ou a ordenar a obra para outros processos dentro e fora cena.

Entre os diversos trabalhos realizados dentro e fora do Brasil, destaca-se “Anjo Negro”, texto de Nelson Rodrigues, produzido por O Poste Soluções Luminosas, com direção de Samuel Santos. Ângelo encarna o personagem principal Ismael, num enredo que dialoga com os conflitos sociais e psicológicos acerca da aceitação do indivíduo enquanto representante da comunidade negra, permeado por uma dinâmica de palco apoiada nos elementos que remetem aos orixás. “Anjo Negro” foi encenado na edição 2014 do Festival Janeiro de Grandes Espetáculos, junto com os atores Agrinez MeloNaná Sodré  André Caciano, Maria Luísa Sá e Smirna Maciel.

Entre as experiências que acumulou ao longo dos anos, destacam-se a trilogia “Algunas de las Otras Cosas…”(2008 – 2014), composta pelas performances: Sensacionalismo Sensacional, São AutoSantificação e Algunas de las Otras Cosas com concepção e direção próprias, e “Mantua”, uma livre adaptação do texto Romeu e Julieta de Willian Shakespeare e “Kotidiana”,  com direção de Quique López e Jackie Miller.

No Recife, também fez parte do PIANE (Projeto de Integração de Atores do Nordeste) e participou do espetáculo Ditirambos, sob a direção de Moncho Rodriguez (2003-2004) ; realizou uma série de Atentados Poéticos junto ao professor e agitador cultural Jomard Muniz de Britto (1999 – 2005) e integrou o N.A.V. E (Núcleo de Artes Visuais e Experimentos) de 2004 a 2007, com a coordenação do artista visual Flávio Emanuel.

Atualmente Ângelo coordena o Hemisférios Itinerantes (Argentina/Brasil), contribui com o Suplemento Panóptico (México) e o Instituto Hemisférico de Performance e Política (México/EUA). Ângelo acredita que o teatro é uma fonte de eterno aprendizado. Por isso, segue se reciclando, ao participar do máximo de cursos, oficinas e workshops que tem a oportunidade de encontrar. Acesse aqui a lista de atividades extras desempenhadas pelo ator em sua trajetória.

 

Fotos:

Fotos de Diego Melo, Cristian Tonheiser e Matheus Pirôpo

 

 

Print Friendly